Resenha do Filme: Frozen – Uma aventura congelante

Frozen - Uma aventura congelante é um filme de animação da Walt Disney lançado em 2013. Eu já havia escutado muitos elogios desse filme, porém não esperava que ele fosse realmente tão bom quanto falavam. Fui muito surpreendida, pois mesmo eu não sendo muito chegada a animações, após assistir Frozen fiquei muito encantada com o belo enredo dessa animação! Aliás, não é apenas a história que faz com que o Frozen seja uma grande animação, mas todo o conjunto: personagens cativantes, princesas destemidas, grandes efeitos visuais e musicais maravilhosos!

Resenha do Filme: Frozen - Uma aventura congelante

frozen-capa

A história:

No reino de Arendel, a Elsa é a filha mais velha do rei e da rainha. Ela nasceu com um dom especial que a torna capaz de criar neve e gelo. Quando criança, esse poder sobrenatural de Elsa faz com que ela e Anna, sua irmã mais nova, se divirtam muito enquanto brincam, até o dia em que ocorre um acidente e Elsa acaba, sem querer, colocando a vida da irmã em risco. Após isso, as lembranças da Anna sobre os poderes da irmã são apagadas e o rei e a rainha decidem afastar Elsa de todos do reino, com medo de que ela os colocasse em perigo, por não conseguir controlar os seus poderes mágicos. Elsa e Anna crescem então separadas, sem a irmã mais nova entender o motivo disto. Após anos, com a morte de seus pais e por ser a filha mais velha, a Elsa precisa sair do isolamento e ter de assumir o trono de Arendel. No dia em que vira Rainha, Elsa perde o controle e todos do reino conhecem os seus poderes, que acabam deixando todo o reino assustado e causando um inverno super rigoroso. Elsa decide então fugir para não prejudicar mais ninguém. A Anna finalmente entende a razão por não ter convivido toda a infância com a sua irmã e assim decide ir atrás dela, para trazê-la de volta ao reino e para acabar com o forte inverno que Elsa causou. Enquanto tenta buscar a irmã, a Anna conhece Kristoff, o divertido entregador da montanha que a ajuda em sua aventura.

frozen-elsa-anna

Novamente, a Elsa coloca a vida da sua irmã em risco, ao acidentalmente fazer com que ela seja totalmente congelada e a única coisa que poderá salvá-la é o amor verdadeiro. Apesar da história ter duas princesas, aparentemente uma delas, no caso a Elsa, parece ser a irmã má, enquanto a Anna é a mocinha. Mas na verdade, não é nada disso, pois a Elsa é uma vítima da sua própria condição e por não conseguir controlar os seus poderes, decide viver sozinha, longe da sua irmã e do seu reino, apesar de sofrer muito com isso. As duas personagens são apaixonantes, cada uma com as suas próprias características.

Frozen também possui personagens secundários muito bem desenvolvidos e carismáticos que encantam muito o público, como o Olaf, o boneco de neve que a Elsa criou, que sonha com o verão, mesmo podendo derreter com ele e o próprio Kristoff, que mesmo não sendo o príncipe de Anna, faz com que todos torçam para eles fiquem juntos e para que o amor deles seja a salvação da Anna.

Com cenas incríveis e gráficos super bem feitos, todo o cenário de gelo cria uma atmosfera magnifica para essa animação. Os musicais se encaixam perfeitamente no enredo e logo após assistir o filme, não tem como se esquecer deles, principalmente da música principal "Let it go" que toca enquanto a Elsa constrói o seu próprio castelo. Sem dúvidas, esta é uma das cenas mais marcantes do filme.

Frozen está muito longe de ser mais um conto de fadas clichê, em que a princesa precisa ser salva pelo seu príncipe, que costuma ser perfeito: bonito, corajoso, o herói da história. O Kristoff é desajeitado, não possui o controle da situação e nem é principe, mesmo assim, faz com que a Anna se apaixone por ele. E o amor verdadeiro que a salva, não é o amor do Kristoff e sim o da própria irmã. O Frozen traz o amor entre a princesa e o mocinho, porém este não é o ponto principal do filme e sim o amor familiar, entre as duas irmãs, que é a coisa mais forte da história.

frozen-elsa

Outro ponto forte é que o Frozen nos passa a lição de que o fato de ser diferente não deve fazer com que nós sejamos reprimidos. É preciso saber lidar com as diferenças de cada um, de forma que nós mesmos e os demais não sejam prejudicados com isso. Na história, a Elsa cresceu reprimida, como se o seu dom fosse uma maldição e isso acabou acarretando em problemas, pois ela não havia aprendido a controlar os seus poderes, que no fim, após serem dominados, trouxe felicidade para todos.

Para concluir, essa animação é realmente sensacional e surpreendente por todos os seus aspectos. É possível se emocionar muito durante o filme, assim como se divertir com os personagens alegres e cativantes, se impressionar com todos os efeitos gráficos brilhantes e se encantar com as belas canções, que além de possuírem belas melodias, possuem também letras muito bonitas. Não é a toa que o Frozen venceu as duas categorias em que foi indicado ao Oscar de 2014: a de Melhor Animação e a de Melhor Canção Originak("Let it go").

Comments 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *