O óleo de cártamo realmente emagrece?

O óleo de cártamo tem ganhado destaque na mídia utilizado com sucesso por muitas pessoas. Nesse artigo vamos entender que planta misteriosa é essa.

Muitas pessoas insistem em adotar dietas duvidosas que trazem mais prejuízos do que benefícios. Além desta prática ser extremamente perigosa (já que podem causar efeitos colaterais graves), na maior parte dos casos, os resultados não são satisfatórios e, em pouco tempo, voltam a ganhar peso.

Infelizmente, esta é a realidade que atormenta aqueles que querem emagrecer: gastam muito dinheiro em busca do “corpo perfeito” e comprometem a saúde sem ter uma mudança duradoura.

Sem dúvida o principal vilão dessa história é a falta de informação, pois há diversos produtos naturais com propriedades emagrecedoras que não causam efeitos indesejados, mas que são desconhecidas pela maioria.

Eles são utilizados por nossos ancestrais há centenas de anos e comprovados pela ciência, mas por diversas razões, as pessoas tendem a procurar remédios industrializados que podem causar sérios danos ao corpo.

Caso queira evitar produtos sintéticos e dietas extremamente rígidas que acabam com o prazer de viver (afinal de contas, comer bem também faz parte da felicidade de qualquer pessoa), vale a pena conhecer o óleo de cártamo, um produto natural oriundo do Açafrão-bastardo que irá lhe fazer perder a gordura indesejada, principalmente, da região abdominal.

Mas será que realmente o óleo de cártamo emagrece?

Antes de tudo, é importante deixar claro que o óleo de cártamo não é considerado um remédio, pois trata-se de um produto natural que não passa por um processo químico-industrial. Dessa forma, na maior parte dos casos, ele pode ser consumido sem restrições e há uma menor probabilidade de causar efeitos colaterais.

Diversas pesquisas científicas comprovam que o óleo de cártamo tem propriedades que estimulam, naturalmente, a queima de gordura no corpo. É por esse motivo que ele é o principal componente de diversos suplementos alimentares que prometem eliminar a gordura.

óleo de cártamo

Quais são os benefícios do óleo de cártamo?

O cártamo é uma planta nativa do Oriente Médio e hoje é cultivada por toda Europa e Estados Unidos. Uma raiz profunda permite sua sobrevivência em climas mais secos. É parente do girassol e apresenta flores amarelas ou alaranjadas, que originalmente eram utilizadas como corante para cosméticos e tecidos, e também são usadas como especiaria semelhante ao açafrão no tempero de pratos variados.

Atualmente, o cultivo do cártamo é voltado para a extração do óleo a partir de suas sementes. Este óleo é rico em gorduras insaturadas, que comprovadamente fazem bem à saúde. O óleo de cártamo tem ganhado notoriedade e recentemente vem sendo muito utilizado como suplemento alimentar por apresentar diversos benefícios à saúde. Entre eles estão:

1) Ajuda na perda de peso

Apesar de nenhum estudo até o momento demonstrar consistentemente que apenas a inclusão de óleo de cártamo na alimentação leva à perda de peso, muitos fatores contribuem para que ele seja um excelente aliado da sua dieta.

O óleo de cártamo é rico em ácidos graxos insaturados que já provaram serem capazes de estimular a queima de gordura corporal. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, o consumo de gorduras é essencial em dietas para perda de peso. O fundamental é consumir fontes de gorduras boas, e na quantidade correta, balanceando todos os macro e micronutrientes. Uma privação exagerada de gorduras deixa o metabolismo mais lento e prejudica os resultados da dieta. Portanto, consumir o óleo de cártamo moderadamente como substituto de outros tipos de gorduras e seguindo uma dieta com a distribuição energética ideal entre gorduras, carboidratos e proteínas, pode ser um meio bastante eficaz de acelerar o metabolismo, a queima de gordura e consequentemente perder peso.

Além disso, estudos demonstraram que o óleo de cártamo é capaz de aumentar os níveis de serotonina no organismo. Esse neurotransmissor está estreitamente relacionamento ao humor, diminuindo a ansiedade e promovendo bem-estar, condições que auxiliam a reduzir o apetite e a ingestão de calorias.

Já foi comprovado também que a suplementação com óleo de cártamo foi capaz de levar ao aumento dos níveis séricos de adiponectina, um hormônio secretado pelo tecido adiposo que participa da regulação da glicemia e do catabolismo dos ácidos graxos. Seus níveis na corrente sanguínea estão diretamente relacionados à perda de peso e a baixas porcentagens de gordura corporal em adultos. Assim, esse é um terceiro mecanismo pelo qual o óleo de cártamo pode auxiliar na perda de peso e melhora da composição corporal.

2) Combate a gordura abdominal

O ganho de peso geralmente é acompanhado pelo aumento da gordura abdominal, que se torna muito perigosa quando está ao redor dos órgãos, sendo chamada de gordura visceral. Pacientes com elevados níveis de gordura visceral tendem a permanecer em estados inflamatórios crônicos, desenvolver resistência à insulina, e outros sintomas da chamada síndrome metabólica, fator de risco para doenças do coração, enfarto do miocárdio e certas formas de câncer.

Apesar de mais estudos serem necessários para corroborar esses resultados, envolvendo, inclusive, outros grupos populacionais, o óleo de cártamo pode também ser um aliado na luta contra a tão temida barriguinha.

3) Reduz o colesterol ruim e faz bem ao coração

Estudos ainda conflitam neste ponto, porém evidências indicam que o óleo de cártamo também parece ter a capacidade de elevar os níveis de HDL, que é o colesterol bom, e reduzir os níveis de LDL, o colesterol ruim.

Os níveis de colesterol estão diretamente ligados à suscetibilidade a doenças cardiovasculares, como arteriosclerose, enfarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. O colesterol ruim pode se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos formando placas que bloqueiam o fluxo sanguíneo, enquanto o colesterol bom ajuda a reduzir a deposição dessas placas. Assim, por melhorar o perfil lipídico do sangue, o óleo de cártamo seria um excelente aliado para a saúde do coração.

4) Controla os níveis de açúcar no sangue

O mesmo estudo realizado com mulheres pós-menopausa e com diabetes tipo 2 nos Estados Unidos demonstrou que a suplementação diária com 8g de óleo de cártamo por 36 semanas foi capaz de reduzir os níveis de açúcar no sangue das voluntárias e aumentar sua sensibilidade à insulina.

Assim, o óleo de cártamo pode ser um auxiliar no controle da glicemia, ajudando portadores de diabetes no controle da doença ou pessoas não diabéticas na sua prevenção.

Os níveis de glicose no sangue também são extremamente importantes para quem deseja ganhar massa magra ou perder gordura, uma vez que determina a liberação de insulina, que por sua vez é um hormônio que favorece o acúmulo de gordura.

Estudos mais conclusivos ainda são necessários para investigar a influência do óleo de cártamo nesse parâmetro metabólico.

5) Ajuda o sistema imunológico

As prostaglandinas são sintetizadas a partir de um derivado do ácido linoleico e exercem papel fundamental no nosso sistema imunológico, garantindo as sinalizações bioquímicas que levam à defesa contra micro-organismos invasores e outras lesões.

Assim, o óleo de cártamo pode melhorar nosso sistema de defesa por garantir o fornecimento de ácido linoleico, essencial para a produção de prostaglandinas e que não consegue ser sintetizado pelo corpo humano.

6) Antioxidante Natural

O óleo de cártamo é fonte de vitamina E, que é extremamente benéfica por ser um potente antioxidante, protegendo as células do corpo contra os radicais livres, tanto formados internamente pelo metabolismo celular, quanto externamente pela exposição aos raios UV, a poluentes, etc. Isso ajuda na saúde como um todo, combatendo o envelhecimento precoce e até mesmo protegendo contra diversas doenças.

A suplementação com o óleo de cártamo ou a sua inclusão como substituto de outros óleos na alimentação ajuda a atingir a ingestão diária recomendada dessa vitamina.

Considerações finais

O óleo de cártamo deve ser mantido em local escuro, em recipiente vedado e sob refrigeração, quanto menor contato com o ar melhor para garantir que não irá sofrer oxidação.

A dose diária geralmente recomendada é de 8 até 20g por dia, porém o ideal é ajustar a quantidade à sua dieta e necessidades energéticas, de acordo com a idade, sexo, peso e objetivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *